sexta-feira, 1 de abril de 2016

Saída do mês de março

Domingo (20/03) foi dia de rever os amigos, colocar o papo em dia e passarinhar, como é o de costume nas saídas mensais dos observadores do planalto médio. Desta vez retornamos ao Parque Estadual do Papagaio Charão, situado na cidade de Sarandi/RS e onde foi o primeiro encontro do grupo de Palmeira com os demais observadores, em 2014.
A Unidade de Conservação visitada possui 1.000 hectares de transição entre floresta ombrófila mista (floresta de araucárias) e campos, e a expectativa do grupo era grande quanto às espécies que lá residem.
Saímos de Palmeira pouco depois das 5:30 da manhã, juntamente com nossos pupilos Ramiro e Pâmela e o motorista da vez Luís Eduardo Fritsch. A previsão para o dia era de chuva, mas alguns pingos na estrada não diminuíram a ansiedade pela chegada.
Chegamos na sede recepcionados pelo cantar da seriema (Cariama cristata) que já nos deu ideia do que estava por vir. Enquanto o grupo crescia o inhambuguaçu (Crypturellus obsoletus) abriu o peito deixando todos atentos.
Foi neste momento que o Cadu alertou: Papagaio-do-peito-roxo (Amazona vinacea)! E lá vinham eles, vocalizando, um bando de aproximadamente 15 indivíduos, realizando meu sonho particular (Thuani) e dando início aos lifers do dia.
Papagaio-do-peito-roxo por Thuani Saldanha
Após isso adentramos a trilha e de cara já foi possível avistar um pica-pau-dourado (Piculus aurulentus) que se alimentava, seguindo um pouco adiante foi possível efetuar alguns registros novos para a cidade tais como: pichororé (Synallaxis ruficapilla), anambé-branco-de-rabo-preto (Tityra cayana). 
Anambé-branco-de-rabo-preto por Ricardo Grigolo
  
Pichororé por Danielle Bellagamba
 Em seguida foi avistada uma guaracava-de-crista-alaranjada (Myiopagis viridicata), a qual deu show de acrobacias na copa das árvores atraindo a atenção dos observadores, e que em seguida pousou e pode ser fotografada perfeitamente. Quem também deu o ar da graça nesse meio tempo foi um cabecinha-castanha fêmea (Pyrrhocoma ruficeps), como sempre fugindo das câmeras e dificultando um bom registro. 
Então seguimos a caminhada, até escutarmos a vocalização de um flautim (Schiffornis virescens), este sim mobilizou o grupo e deu um trabalhão para ser registrado, uma vez que sua plumagem é verde-oliva e dificulta  sua visualização e ainda mais a fotografia, mas ainda assim saíram ótimos registros.

Flautim por Pedro Sessegolo
Os tucanos-de-bico-verde (Ramphastos dicolorus) foram escutados mas não deram o ar da graça assim como o tangará (Chiroxiphia caudata), no primeiro momento.

Tangará por Paulo Bertagnolli

Foi então que o amigo Pedro Sessegolo, ao adentrar da mata à procura de algo novo, foi presenteado com uma espécie sensacional a coruja-listrada (Strix hylophila) que ao ver sua câmera fez questão de posar para a foto, tanto é que ficou como melhor foto da espécie no site Wikiaves. Em segundo momento o amigo Paulo Bertagnolli conseguiu excelentes fotos da coruja.
Coruja-listrada por Pedro Sessegolo
Quando se achava que não poderíamos ser mais presenteados apareceu a espécie do dia, tratava-se do  papa-lagarta-de-euler (Coccyzus euleri) o qual possui apenas três registros no estado. A euforia tomou conta do grupo, pois trata-se de uma ave rara, não podemos deixar de agradecer ao colega biólogo Ricardo Grigolo que avistou a ave.
Papa-lagarta-de-Euler por Ricardo Grigolo

Então já era hora do almoço, como de costume chegamos até a cachoeira para realizar a refeição e confraternizar mais uma vez com essa galera sensacional, após o almoço se deu o retorno para a sede do parque, onde outras espécies interessante deram as caras arapaçu-verde (Sittasomus griseicapillus) chupa-dente (Conopophaga lineata), tangará (Chiroxiphia caudata), patinho (Platyrinchus mystaceus), tiê-de-topete (Lanio melanops).
Patinho por Danielle Bellagamba
Chupa-dente por Ingrid Sessegolo
Após 10km de caminhada retornamos à sede e nos despedimos para retornarmos ao lar, mas os lifers não terminaram por aí e no caminho da cidade o pessoal conseguiu registrar a andorinha-de-dorso-acanelado (Petrochelidon pyrrhonota).
Andorinha-de-dorso-acanelado por Luis Eduardo Fritsch
E assim se deu por encerrada mais uma saída mensal do grupo Observadores de Aves do Planalto Médio, ficamos no aguardo pela próxima passarinhada.

Bida e Thuani









3 comentários:

  1. Ótimo, parabéns ao casal The birdes.

    ResponderExcluir
  2. Sempre que leio os posts, fico me imaginando com vocês, creio que um dia terei essa oportunidade!! Parabéns pelos registros, eu confesso que fiquei com inveja! Hahaha
    Muito legal mesmo! Abração

    Raphael
    http://avesdosul.com.br

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blogue e continuem as saídas de campo.
    Cumprimentos

    ResponderExcluir